We're crack babies!

Monday, April 04, 2005

Um pensamento interessante passou pela minha cabeça hoje. Como, na longa, complexa, árdua e forrada de armadilhas história do planeta Terra, a espécie humana acabou sendo a espécie dominante?
Eu não tenho garras retráteis, não pulo minha altura multiplicada X vezes, eu não me misturo com o meio ambiente, e o mais próximo de produção de toxina natural que eu já consegui chegar foi uma vez que eu fui ao banheiro quando eu tava de ressaca. Claro, o Homo Sapiens é INTELIGENTE! É capaz de raciocínio e comunicação avançada, o que faz com que nós passemos adiante nosso conhecimento. Toda a comunidade científica deve aceitar isso. Certo?!

PORRA!!! ERRADO!!!!!!!

Olha essa espécie humana... Eu tava no metrô dia desses (na verdade foi HOJE, mas dia desses parece mais casual, é melhor) e tinha tido um dia horrível. Comi feito um porco no almoço, fiquei esperando duas amigas porque a gente ia no cinema, queria ir pra casa dormir, mas tinha dito que eu ia no cinema, e promessa é dívida né.... Bom, uma das amigas chega, a gente fica enrolando, eu querendo dormir... Daí depois de esperar HORAS, a outra liga e avisa que não poderia ir, tava se sentindo mal. Infelizmente eu tava sem carro, o que significaria que pra ir a um cinema eu teria que pegar um ÔNIBUS ou qualquer merda assim, próximo ao horário do rush. OK. Depois que a névoa avermelhada homicida desapareceu da minha visão, resolvi pegar o metrô (lotado, É CLARO, porque tem gente demais nessa porra desse mundo), e ir pra minha CASA, nada de ônibus maldito até o cinema.

DAÍ me veio a dúvida quanto a dominação do Homo Sapiens no planeta Terra. Ao entrar no metrô, uma mulher gorda veio me ENCOXANDO até meu corpo, o corpo enorme dela e a parede do vagão quase se fundirem em um só. Claro que isso sempre acontece com essas pessoas de área avantajada, então eu nem liguei. Mas, como não poderia deixar de ser, a orca tinha uma CRIA! E em certo momento, ela segurou a certamente futura baleiazinha em determinada posição que, por um acaso do destino (ao ler acaso do destino, entenda idiotice) , forneceu uma linha reta entre o orifício oral do monstrinho e meu peito. Adivinha? SIM! SIM!!! Akela mini-gorda BABOU na minha camisa! Desgraçada!!!! Ao notar minha agitação, a mãe resolveu pedir desculpas sorrindo , e em dado momento, até rindo, como se fosse a coisa MAIS FOFA DO MUNDO akela futura nojeira enfeitar minha camisa com uma linha CONSTANTE de gosma.

É muita sorte minha que o mundo inteiro é idiota, porque senão eu ia me meter em muita confusão! Somente um ser razoavelmente irracional ou alguém em coma não teriam interpretado o meu simpatiquíssimo ''Acontece...'' do jeito correto, que era ''Sua gorda miserável. Tira esse máquina fedida de babar e cagar de perto de mim AGORA antes que eu jogue ela fora na próxima estação!''. Julgando pelo sorriso feliz que ela me ofereceu em resposta, ou eu descobri um novo tipo de coma, onde a pessoa anda e fala (e, provavelmente, come muito bem), ou "razoavelmente irracional" se aplica.

Mas, pasmem, não termina por aí. quando a enorme criatura se sentou, eu estava ocupado, formulando uma teoria que questionaria a possibilidade de o ser humano, tendo seu primeiro filho, perder a capacidade de raciocínio lógico por já ter cumprido seu objetivo biológico. Mas, para minha surpresa, a circunferência ambulante começa, ESCANDALOSAMENTE, quase como se estivesse BRAVA com a sua cria, a regurgitar: "Fala com tia! Com a tia!! fala!!! fala com a tia?!?!?! É!! hoje você não vai pra casa da tia!!! hoje vai pra casa da mamãe! É!!! mamãe!!! ''
Após chocantes 15 segundos dessa embasbacante demonstração de idiotice, a adiposa senhora, certamente empenhada em perpetuar sua subespécie, ajuda a adiposinha a enfiar um wafer de chocolate na boca.
Já de mau humor por descobrir que não se tratava da mãe da criança (o que lançava por terra minha teoria sobre a idiotice pós-parto), eu observei enquanto a bolacha mais longa do que o braço da menina era enfiada no buraco babante. Caso os senhores estejam se perguntando... NÃO, a criaturinha NÃO TINHA DENTES! o que significa que em sua tentativa GROTESCA de se entuchar de doces e crescer forte, saudável (?) e HORRENDA como sua tia, ela esmagava e babava sobre o wafer, enquanto pedaços desse caíam eventualmente no chão ou no assento do metrô.
A essa altura, eu tentava me controlar, e imaginei que nenhum gavião arremessaria seus filhotes para fora do ninho sem que esse tivesse penas. Nenhuma leoa permitiria que seu filhote atacasse uma gazela antes que ela tivesse garras, e nenhuma chinchila permitiria que sua filha se entregasse aos caçadores antes que ela tivesse pêlos (porque é só pra isso que chinchila serve, sejamos honestos). Então, O QUE HÁ DE ERRADO COM OS HUMANOS?!?!?! Mas que merda, COMO DIABOS a gente acabou dominando esse planeta?!?!??!
Não satisfeita em me fazer questionar toda a cadeia de dominação entre as espécies do globo, a redonda criatura força ainda mais a barra! Ela espera até que o metrô saia do trecho subterrâneo, liga para a mãe da criança, e fala alegremente:
"Ah, eu estou dando wafer de chocolate pra mariela! É!!! De CHOCOLATE!!! (não entendi o porquê da empolgação com o chocolate. Só posso acreditar que a adoração ao doce feito à base de cacau é um hábito antigo e muito respeitado na família da futura obesinha) ! Quer ver?!?!?!''
Nisso, a mulher enfia o celular na CARA da menina, e se põe falar num volume muito mais alto do que o necessário : "Fala pra mamãe!!! pra mamãe! fala!!! vc tá comendo chocolate! hmm gotosooooo, chocolate!!!! fala!! fala 'mamãe, eu to comendo bolacha de chocolateee hmm qui gotôsoooooo'!!! Vai fala! fala pra mamãe!!! hmmmmm gotôso esse chocolate mamãe!!!'' E assim por diante.
Sério, isso durou MUITO tempo, ou talvez o que aconteça é que quando vc está tentando se controlar pra não puxar a alavanca de abertura de porta em emergências do metrô e arremessar dois corpos pesando um total de 120 kg, um celular e um wafer de chocolate semi esmagado e babado nos trilhos, o tempo parece passar mais devagar.
A menina não sabia nem NÃO-BABAR na minha camisa, porque diabos essa mulher idiota esperaria que a criancinha pudesse falar em um CELULAR?!?!?! Claro que ela não calou a boca maldita dela até que a pequena desgraça murmurou o som mais próximo de comunicação coerente que ela conseguia: '' hew'' , acompanhado do som líquido que inevitavelmente é criado quando se murmura com um fio de baba com chocolate escorrendo da sua boca aberta.

Depois do ruído revoltante, eu não pude me segurar. Eu arranquei o extintor de incêndio da parte de baixo do banco próximo a mim e esmaguei o crânio da pequena obesa, e desferi uma série de golpes contra o tórax e o queixo da grande obesa, até que ambas parasse de se mexer...
...
...
...
Ok, o que eu fiz foi procurar um lugar bem longe pra me sentar. MAS, caso eu tivesse realmente seguido o plano do extintor, seria um ato de bondade para a humanidade e para a crainça. Deve existir uma lei em algum lugar que afirme que certos tipos de pessoa não deveriam poder procriar ou sequer se envolver na criação de uma criança, e que nesses casos de óbvio abuso infantil, o mais adequado é sacrificar a criança, que certamente jamais crescerá para ser alguém saudável ou normal! Se existe essa lei, então eu estaria apenas seguindo o suporte legal que visa o bem comum. E se não existe... bom, deveria existir. A gente devia só sair da barriga da mãe quando já é menos idiota.

Ah, e também tava chovendo quando eu voltei pra casa.
Nossa, as pessoas são a pior coisa ever.